Skip to content

Pais de Myriam não acreditam no suicídio

01/12/2009

Autoridades francesas vão continuar investigação

Myriam Caseiro estava desaparecida desde 8 de Novembro.

Os pais de Myriam Caseiro, a jovem portuguesa que desapareceu a 8 de Novembro e cujo corpo foi encontrado na quinta-feira passada, não acreditam na tese de suicídio avançada pelo procurador de Estrasburgo, França.
“Não acredito. Desde o inicio que ninguém na família acreditou no suicídio de Myriam,” disse a mãe da jovem ao 24horas, explicando que “Myriam, quando tinha problemas, era uma rapariga que falava e desabafava facilmente connosco ou com os amigos”.
No sábado, depois de um inquérito de três semanas, o procurador de Estrasburgo, Jacques Louvel, confirmou oficialmente a identidade do corpo encontrado dois dias antes avançando na altura que os resultados da autópsia “não revelaram nem indícios, nem quaisquer traços de violência física ou sexual”.
O corpo sem vida da jovem portuguesa foi encontrado nas margens do rio Reno, a cerca de quinze quilómetros de Neudorf, já em território alemão. O relatório provisório das perícias médico-legais, a que o 24horas teve acesso, foi efectuado pelas autoridades alemãs, em Fribourg, e aponta como causa da morte o afogamento, “mas as autoridades francesas aguardam a transladação do corpo para procederem a novas perícias,” disse o pai da jovem, Fernando Caseiro, ao nosso jornal.
“A polícia considerou sempre essa hipótese, mas para nós o suicídio é impensável,” disse a mãe da jovem acrescentando que depois das cerimónias fúnebres, “a família vai procurar conselho junto de um advogado para poder ter acesso ao processo de investigação e verificar o que foi feito e se ainda existem pistas por explorar”.
A tese do suicídio, avançada pelo procurador, também não reúne consenso junto dos investigadores que, ao 24horas, reafirmaram a sua vontade em interrogar o homem com quem Myriam terá falado na noite do desaparecimento.
“Uma testemunha viu a jovem no interior do jardim, com o portão fechado, que falava calmamente com um homem que se encontrava no exterior,” disse ao 24horas um oficial da polícia francesa sublinhando que “até agora esse homem não foi identificado”.

Suspeito misterioso

Durante as três semanas em que Myriam esteve desaparecida, as autoridades francesas montaram um importante dispositivo de busca, apontando sempre para o “rapto e sequestro” da jovem. Apesar da importante campanha de divulgação em França e na Alemanha, o alegado suspeito não apareceu.
Nos dois lados da fronteira, as polícias francesas e alemã efectuaram diligências com recurso às brigadas caninas que nunca encontraram o rasto de Myriam nas margens do rio Reno, local onde o corpo acabaria por aparecer.
Myriam Caseiro desapareceu a 8 de Novembro. Chegara a casa da mãe, em Neudorf, na região de Estrasburgo cerca das 23h30, depois de ter passado o dia com o namorado. Trocou de roupa e voltou a sair, deixando no quarto o telemóvel, o saco e a carteira onde estava todo o seu dinheiro.
Fernando Caseiro, revelou ao 24horas que “a polícia decidiu continuar a investigação, e que ainda não há qualquer data para a cremação, que deverá ter lugar em França”.

no 24horas

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: