Skip to content

Gonçalo Amaral tem petição de apoio na Net

09/11/2009

Amaral para presidente

Calado pela Justiça, antigo inspector colecciona apoios online

Cidadãos querem levar à Assembleia da Republica e ao Parlamento Europeu texto em defesa de Amaral

Sob o nome “Projecto Justiça para Gonçalo Amaral”, um grupo de cidadãos lançou uma petição de apoio ao ex-coordenador da Policia Judiciária cujo livro “Maddie, A Verdade da Mentira” se encontra proibido por injunção do Tribunal Cível de Lisboa no âmbito de um processo interposto pelos pais da menina inglesa e no qual reclamam 1,2 milhões de euros.
A petição – disponível na internet AQUI – ainda não foi lançada oficialmente, mas já contava ontem com mais de meia centena de signatários, na sua maioria portugueses, e deverá ser entregue à Assembleia da República, ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem e ao Parlamento Europeu.
Segundo os autores do projecto, a iniciativa visa apoiar Gonçalo Amaral, que se encontra proibido na providência cautelar de expressar “uma opinião, baseada em factos de uma investigação policial, uma conclusão racional, responsável e adulta.”
“Tal providência cautelar era apenas a ponta de um icebergue. Na acção principal a que se refere, os pais de Madeleine visam extorquir ao Dr. Gonçalo Amaral a soma de 1.2 milhões de euros – um valor astronómico e fora de qualquer proporção, seja legal, seja ético” acusa o manifesto dos autores do projecto que se identificam como “Cidadãos pela Defesa dos Direitos e Liberdades”.
Gonçalo Amaral, assim como as editoras Guerra e Paz e Valentim de Carvalho, estão proibidos por uma providência cautelar da juíza Amélia Puna Loupo de “procederem à reprodução ou comentário, opinião ou entrevista” acerca da tese defendida pelo ex-coordenador da PJ no caso Maddie, mas que, segundo o ex coordenador da PJ, apenas reflecte o que se encontra no processo da investigação.

→ também no 24horas

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: