Skip to content

Reabertura do caso Maddie nas mãos do Procurador de Évora

18/10/2009

O pedido de reabertura do processo e da investigação ao desaparecimento de Madeleine McCann, apresentado pelo psicólogo e perito forense Paulo Sargento, já recebeu resposta do Procurador-geral da República (PGR). Pinto Monteiro remeteu o documento, no qual figuram diligências específicas, para as mãos do procurador-geral de Évora, um dos magistrados que tem a titularidade no processo e que terá agora de analisar a validade do pedido.
No documento enviado a Pinto Monteiro – como o 24horas noticiou – o perito forense sugeria diversas diligências que fundamentou com elementos que “não foram correctamente investigados” pela Policia Judiciária ou pelas autoridades inglesas após a saída de Gonçalo Amaral do Departamento de Investigação Criminal (DIC) da PJ em Portimão.
De acordo com Paulo Sargento, o casal McCann nunca foi interrogado acerca das circunstâncias que os levaram a lavar “cuddle cat” – o peluche cor-de-rosa que pertencia à criança – pelo que “seria importante apurar se Kate e Gerry foram informados da chegada dos cães ingleses, quando e por quem.”

Porta-voz dos McCann em mais um processo por difamação

Justine McGuiness

Justine McGuiness

No final de mais um processo por difamação relacionado com o caso “Maddie”, o tablóide inglês “The People” foi ontem condenado a indemnizar Justine McGuiness, a antiga porta-voz dos McCann, a quem o jornal foi igualmente obrigado a desculpar-se por ter publicado “informações inexactas e que causaram stress e embaraço”.
Em causa estava um artigo publicado pelo tablóide em Outubro de 2007, intitulado “A mulher que custou 51.000 libras ao fundo Madeleine”, e no qual o autor sugeria que a porta-voz dos país de Maddie teria sido despedida depois de ter facturado montantes excessivos pelo seu trabalho na Praia da Luz.
“A Senhora McGuinness nunca facturou o fundo em excesso e até suportou ela própria muitas das suas despesas,” disse o advogado Melville-Brown à saída do Tribunal de Londres, acrescentando que McGuinness não se demitiu nem foi despedida, mas que saiu em finais de Setembro de 2007 como tinha sido previamente combinado com os responsáveis do fundo.
Justine McGuiness deixou a campanha dos McCann após o casal ter sido constituído arguido pelo Ministério Publico português e regressado a Inglaterra. A estratega em comunicação, imediatamente substituída por Clarence Mitchell junto de Kate e Gerry, aceitou agora que a indemnização fosse paga a uma obra de caridade da sua escolha.
Em margem do caso Maddie – pontuado por diversos processos contra a comunicação social inglesa, processos esses que renderam aos país de Maddie mais de 750.000 euros – existe ainda um processo por difamação anunciado pelo casal e no qual reclamam mais de um milhão e duzentos mil euros ao ex coordenador da PJ, Gonçalo Amaral.

Duarte Levy também no 24horas

Español

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: