Skip to content

McCann querem calar a internet

26/09/2009

Imagem do 24horas

Imagem do 24horas

Kate e Gerry McCann vão iniciar uma nova ofensiva contra sites e blogues na internet que defendem a teoria de que a sua filha Madeleine McCann terá sido morta.
Esse terá sido também um dos motivos para o casal regressar a Portugal.
Os advogados receberam indicações para prepararem um lote de acções com que visam intimidar os autores de blogs e sites internet que persistem em acompanhar o caso.
Uma autêntica cruzada com contornos nunca antes vistos à escala mundial num caso de desaparecimento de uma criança, e com várias ameaças de processos em justiça ao abrigo das leis de segurança nacional britânica.
O 24horas apurou que nos últimos dias diversos fornecedores internet na Europa receberam pedidos de identificação dos autores de blogs e sites internet que tratam o caso Madeleine McCann e onde a tese da morte da criança é citada como a mais provável.
Para além das iniciativas ligadas directamente aos McCann ou às autoridades britânicas, um outro gabinete de advogados de Londres – Bindmans LLP – exigiu esta semana aos fornecedores internet de alguns bloggers a censura imediata de artigos relacionados com o caso Maddie e onde, afirma aquele gabinete, estariam em causa a segurança nacional, os serviços secretos e as operações especiais do Reino Unido – foi o caso, entre outros, do blog “Joana Morais” em Portugal e do “SOS Madeleine McCann” na Bélgica, gerido pelo jornal belga “La Dernière Heure”.
Depois de diversos processos aos média britânicos, resolvidos em acordos extra-judiciais, e nos quais o casal obteve perto de um milhão de euros em indemnizações, Kate e Gerry McCann visam agora o ex-inspector Amaral e todos os bloggers portugueses, ingleses, alemães, espanhóis e belgas que persistem em acompanhar o caso.

Site da Fundação Madeleine fechou

Carter Ruck, o gabinete de advogados que representa o casal McCann, especialistas em processos por difamação e acções contra os meios de comunicação, esteve recentemente na origem do fecho do site internet da Fundação Madeleine. Aquele gabinete terá usado uma alegada violação dos direitos de autor de três fotografias da criança para levar ao encerramento do site internet daquele organismo.
O argumento utilizado pelos advogados seria no entanto contestável, segundo fonte do referido site justificou ao 24horas, já que as imagens de Maddie utilizadas no site, e cujos direitos de autor são reclamados por Kate e Gerry McCann, estão disponíveis no site oficial da campanha do casal – Find Madeleine – para download gratuito.
O quotidiano belga “La Derniére Heure” foi intimidado a apagar no “SOS Madeleine McCann” todas as informações que metiam em evidência a participação de um alegado agente secreto britânico nas investigações privadas dos McCann. Do blog belga – unicamente disponível em francês e visitado até agora por mais de sete milhões de internautas – nada foi até agora apagado ou censurado já que os responsáveis pela plataforma internet do jornal entendem que as leis britânicas não têm qualquer aplicação no território belga.
Quase dois anos passados desde o afastamento do ex-responsável da Policia Judiciária, Gonçalo Amaral – o inspector foi afastado no dia do seu aniversário a dois de Outubro – os país da criança parecem mais do que nunca determinados a calar todas as críticas e comentários que não seguem a linha decretada pela sua campanha.
Para a mesma fonte, os advogados que representam Kate e Gerry McCann, em Portugal ou em Inglaterra, não se vão limitar às acções já conhecidas e para além do milhão e duzentos mil euros que agora são reclamados a Gonçalo Amaral, e o montante ainda não conhecido que será exigido aos responsáveis da Fundação Madeleine, “existe uma lista de blogs nos dois países cujos autores e colaboradores vão ser responsabilizados pelo mal que têm feito.”
“Já identificaram os fornecedores internet dos sites e blogues” que têm mantido vivo o caso Maddie – “na maioria, são insultuosos e difamatórios,” disse fonte próxima da família ao 24horas.
Avançando alguns exemplos – alguns citados nestas páginas – a fonte justifica a decisão explicando que “em muitos dos casos não se trata de informação, mas sim de puro ódio, o que não ajudou as nossas investigações e o nosso trabalho para encontrar Madeleine.”

Duarte Levy no 24horas

One Comment
  1. remember permalink
    26/09/2009 21:01

    Esperemos que Fundación Madeleine vuelva de una u otra forma. Esperemos que las amenazas no les sirvan de nada. Seguimos aquí. Hasta que se sepa la verdad.

    Reme

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: