Skip to content

McCann querem proibir mais um livro

19/09/2009
“Que aconteceu realmente a Madeleine McCann? - 60 razões que sugerem que não foi raptada”

“Que aconteceu realmente a Madeleine McCann? - 60 razões que sugerem que não foi raptada”

McCann querem calar Fundação Madeleine

O livro “Que aconteceu realmente a Madeleine McCann? – 60 razões que sugerem que não foi raptada”, que mete em causa as condições em que ocorreu o desaparecimento de Madeleine McCann e o papel desempenhado pelas autoridades britânicas no caso, pode ser proibido no Reino Unido.
Depois de “Maddie, A Verdade da Mentira” de Gonçalo Amaral, este é o segundo livro que os país de Maddie querem ver proibido, ao mesmo tempo que preparam diversas acções em justiça a fim de obterem indemnizações financeiras por alegadas difamações.
Contactado pelo 24horas, Tony Bennett, responsável pela Fundação Madeleine e um dos autores do livro, diz-se “perplexo” com as cartas de “intimidação” que recebeu dos advogados de Kate e Gerry McCann.
“Quando criámos a Fundação Madeleine e o site internet, enviámos uma carta aos McCann, ao seu advogado Edward Smethurst, e a Clarence Mitchell pedindo que nos indicassem toda e qualquer declaração do website que pudesse ser falsa, disponibilizando-nos para a remover ou alterar. Nunca tivemos qualquer resposta,” disse Bennett ao 24horas acrescentando “que tiveram idêntica precaução com o livro”.

Tony Bennett e Debbie Butler

Tony Bennett e Debbie Butler

“A única reacção que observámos na altura foi o porta-voz do casal, Clarence Mitchell, que disse à imprensa que os advogados do casal faziam atenção ao que a Fundação fazia,” disse o mesmo responsável.
Carter Ruck, um dos mais importantes e mais caros gabinetes de advogados de Inglaterra, especialista em processos contra os órgãos de comunicação social, intimidou os responsáveis da “Fundação Madeleine”, organização criada logo após o desaparecimento de Maddie para prevenir e combater a negligência infantil, a retirar da venda e da internet o livro.
Nos documentos enviados a Tony Bennett e Debbie Butler, os responsáveis pela Fundação Madeleine – documentos a que o 24horas teve acesso – os advogados do casal McCann exigem que todas as cópias daquele livro lhes sejam entregues, assim como todos os panfletos acerca do caso. Também as versões electrónicas existentes deveriam assim ser apagadas.
Carter Ruck, o mesmo gabinete que obteve para os McCann mais de um milhão de euros em indemnizações pagas por diversos média ingleses, exige ainda que o site internet da Fundação – www.madeleinefoundation.org – seja definitivamente apagado, e que cessem todas as actividades em torno do caso Maddie.
Apesar da “intimidação” que é feita à Fundação Madeleine, os responsáveis mantêm tudo na mesma e não acreditam que Kate e Gerry McCann possam ter sucesso num processo por difamação perante os tribunais ingleses já que, “de acordo com a lei inglesa, todo aquele que se diz vítima de difamação deve actuar imediatamente, ora os McCann esperaram mais de onze meses,” disse ainda Tony Bennett.
Os advogados de Kate e Gerry McCann não quiseram comentar o caso mas uma fonte próxima da família disse ao 24horas que estão a “aguardar uma resposta dos responsáveis da Fundação e autores do livro,” e admitem que “podem vir a ser tomadas outras acções contra os autores de blogs e sites internet onde existam comentários difamatórios contra Kate e Gerry McCann.

Duarte Levy no 24horas

One Comment
  1. Anónimo permalink
    25/09/2009 11:41

    Oi,
    onde é que está o site?
    http://www.madeleinefoundation.org
    Será que o poder inquisitorial dos McCann é sem fim?
    Onde está a justica?
    Liberdade de expressao, ainda és?
    Isto tem de levar uma grande revira volta!

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: