Skip to content

Maddie: detectives deram “palhaçada” na Alemanha

27/05/2009

Raymond Hewlett

Raymond Hewlett

EspañolEnglishFrançais

Os dois ex-policias ingleses, contratados pelo casal McCann, regressaram ontem a Inglaterra sem terem interrogado o alegado “suspeito” do desaparecimento de Madeleine, depois de as autoridades alemães terem qualificado a sua presença em Aachen como “uma palhaçada” acusando-os de terem “tentado exercer pressão sobre as autoridades judiciais locais” usando contactos na representação diplomática britânica na Alemanha.
Os investigadores privados – que não têm qualquer autoridade de polícia em Inglaterra ou no estrangeiro  – pretendiam interrogar Raymond Hewlett, um cidadão britânico de 64 anos que vivia em Tavira quando Maddie desapareceu na Praia da Luz e que já cumpriu pena de prisão em três casos de pedofilia envolvendo adolescentes.
O Procurador em Aachen, em declarações ao 24horas, confirmou que as autoridades inglesas manifestaram interesse em interrogar Hewlett acerca de dois casos antigos mas que “o pedido oficial nem sequer menciona o caso Maddie nem pede a detenção do indivíduo”.
Para as autoridades alemãs, tudo o que tem vindo nos tablóides ingleses, “não tem passado de pura especulação” acerca de um triste caso de desaparecimento.
“Nós não podemos impedir que o cidadão britânico saia do hospital, tanto quanto for possível em termos médicos, e em especial se ele assim o desejar,” disse o Robert Deller em entrevista à televisão alemã antes de falar com o 24horas.
“Estamos dispostos a colaborar com as autoridades portuguesas e inglesas mas estes senhores (os detectives) não têm qualquer autoridade e ficaremos contentes quando deixarem a porta do hospital. Eles e os jornalistas que trouxeram,” confessou ao 24horas um porta-voz da polícia em Aachen.
Hewlett, que se  encontrava hospitalizado na Clínica Universitária de Aachen para tratamento a um cancro, recusou-se a responder aos investigadores dos McCann mas disse ao 24horas que no dia do desaparecimento de Maddie estava acampado na Fuzeta, local onde participou no mercado mensal e na feira das velharias. O inglês, que nunca esteve envolvido em casos de pedofilia no nosso país, foi denunciado aos investigadores dos McCann por um casal de compatriotas, Alan e Cindy Thompson – já conhecidos das autoridades por terem igualmente pretendido saber onde se encontrava o covil de Bin Laden.

Dave Edgar

Dave Edgar

O 24horas tentou contactar Dave Edgar e Arthur Cowley, os dois ex-policias que compõem o “Alpha Investigations Group”, mas estes recusaram-se a comentar porque razão consideram o inglês suspeito depois de terem afirmado que Maddie “não foi raptada por um pedófilo” nem transportada a bordo de um barco.
Em Portugal, fonte da PJ de Portimão confirmou “seguir com atenção” as informações que têm sido veiculadas acerca do caso mas que, do casal McCann e dos seus investigadores, “nenhum dado novo foi entregue ou comunicado” à PJ.

Duarte Levy também no 24horas

3 comentários
  1. Beattie permalink
    28/05/2009 14:14

    Yet another example of the way the Fund is being wasted, considering
    all the help from high profile people the McCanns have recieved, you
    would think someone would have recommended a Detective Agency with
    experience in searching for missing children.

  2. 27/05/2009 10:19

    Este par de detectives me hace pensar continuamente en “Mortadelo y Filemón” (los lectores españoles me entenderán). Yo que pensaba que después de todas las estupideces que hicieron y dijeron los de Metodo3 no podía ya hacerse peor… Me equivocaba.

    ¿Verdaderamente nos toman a todos por estúpidos?

Trackbacks

  1. Maddie: Detectives “clown around” in Germany « Duarte Levy..

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: