Skip to content

Portugal relança número de urgência para crianças desaparecidas

24/05/2009

10 Países da União europeia associados no Dia Internacional das Crianças Desaparecidas

Rui Pereira - Ministro da Administração Interna

Rui Pereira - Ministro da Administração Interna

FrançaisEspagñol

A partir de amanhã, segunda-feira, com a adesão da França, passam a dez os países europeus que já adoptaram e colocaram em serviço a Linha Europeia para Crianças Desaparecidas, o 116 000, um número de telefone único e gratuito destinado a receber as chamadas urgentes nos casos de desaparecimento. Portugal foi o segundo país, depois da Hungria, a aplicar uma directiva da União Europeia que data de 2002 mas que ainda não é respeitada pelos restantes 17 países membros, entre eles o Reino-Unido, o país com o mais elevado número de desaparições.
Simultaneamente, nos dez países – Portugal, Bélgica, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Polónia, Roménia, Eslováquia e França, começa amanhã uma campanha de divulgação e sensibilização para dar a conhecer as possibilidades daquele serviço: através do 116 000 os pais de uma criança desaparecidas podem apresentar uma denúncia, o público pode mais facilmente prestar informações e a criança desaparecida pode ela mesma pedir auxílio.
A nova campanha de sensibilização, que em Portugal está a cargo do Instituto de Apoio à Criança, coincide com o Dia Internacional das Crianças Desaparecidas e é lançada oficialmente amanhã na Gulbenkian em presença do Ministro da Administração Interna e do Chefe da Representação Nacional da Comissão Europeia.
Operacional 24 horas por dia, sete dias por semana, o número é gratuito e as chamadas são atendidas por profissionais especializadas, pertencentes a organizações não governamentais – em Portugal o serviço é prestado pelo Instituto de Apoio à Criança – que trabalham a nível nacional e internacional com a polícia e entidades judiciárias.
Os mais recentes casos de desaparição de crianças na Europa – entre eles o mediático caso de Madeleine McCann – têm levado as instituições europeias a insistir junto dos restantes 17 países membros para que o serviço seja adoptado o mais rapidamente. Baseada na estratégia europeia em favor dos Direitos da Criança, a Comissão Europeia introduziu em Fevereiro de 2007 o 116 000 como sendo o número telefónico europeu para Crianças desaparecidas. Uma decisão complementada por uma directiva indicando aos Estados membros os passos a seguir para que o serviço de urgência venha a ser adoptado na totalidade da União europeia.

Duarte Levy também no 24horas

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: