Skip to content

Centenas de ingleses cadastrados por questionarem o caso Maddie

01/05/2009

Informadores desviados para o fundo financeiro dos McCann

A carta de Stuart Prior

A carta de Stuart Prior

Centenas de cidadãos britânicos viram ontem os seus nomes registados num ficheiro especial dos serviços do Home Office inglês, dedicado ao caso Madeleine McCann, depois de terem escrito à polícia do Leicestershire pondo em causa as razões que levam aquela força a manter na sua página internet uma ligação para o fundo financeiro criado pelos pais da criança.
Diversas páginas internet da policia inglesa mantêm uma ligação directa ao site através do qual os pais de Madeleine McCann têm angariado donativos para alegadas investigações privadas ao desaparecimento da criança.
Na resposta enviada aqueles cidadãos, Stuart Prior, o responsável pela “Major Crime Unit” da polícia do Leicestershire, justifica a existência da ligação entre o site das autoridades e o fundo financeiro dos McCann alegando que “algumas pessoas podem não se sentir à vontade” em contactar a polícia portuguesa. Aquela ligação seria, segundo aquele responsável, uma forma alternativa de entregar a informação sem passar pela polícia, um facto que tem sido criticado publicamente já que não existe uma garantia de que eventuais novos dados sejam entregues as autoridades.
Stuart Prior, que esteve na Praia da Luz durante as investigações, tem sido alvo de inúmeras críticas por parte dos inspectores da PJ em Portugal mas também de outros polícias ingleses: o responsável da principal unidade de combate ao crime nunca escondeu a sua simpatia pelos McCann e chegou mesmo a facilitar ao casal informações internas do trabalho da PJ.
A poucos dias do segundo aniversário do desaparecimento de Maddie, a 3 de Maio, as autoridades inglesas continuam a manter uma parte da informação sob segredo de estado, em especial no que diz respeito ao papel desempenhado pelos seus diplomatas e agentes de segurança em Portugal.
Em Inglaterra, quase todos os organismos do governo ou da polícia têm recebido pedidos de informação acerca do caso Maddie ao abrigo de um decreto, “Freedom of Information Act”, mas a maioria das respostas limita-se a confirmar o sigilo. Os nomes dos autores daqueles pedidos têm sido adicionados a um registo cuja finalidade não é ainda conhecida.
Gerry e Kate McCann, criaram em Maio de 2007, apenas nove dias depois do desaparecimento da filha, um organismo privado destinado a angariar fundos para lançar alegadas investigações privadas acerca do que teria acontecido à criança. Em dois anos, segundo as ultimas contas do fundo, aquele organismo recebeu mais de três milhões de euros dos quais apenas 13% foram empregues para procurar Maddie.

Livro de Amaral chega a França e à Holanda

“Maddie: A Verdade da Mentira”, o livro publicado em Portugal por Gonçalo Amaral, o homem que dirigiu as investigações da PJ ao desaparecimento de Madeleine, vai ser publicado em França e na Holanda. De acordo com o seu editor no nosso país, o antigo coordenador da PJ em Portimão vai estar naqueles países durante a primeira semana de Maio.
Em Portugal o livro de Gonçalo Amaral vendeu milhares de exemplares e deu origem a um documentário transmitido pela TVI e que foi visto por mais de seis milhões de telespectadores. Apesar do seu sucesso, quer o livro quer o documentário nunca chegaram a ser publicados em Inglaterra, onde ambos têm chegado graças à internet: o livro foi traduzido em inglês e está disponível para download assim como o próprio documentário que em apenas 24 horas já se encontrava disponível com legendas em inglês, tudo de forma não oficial.

Duarte Levy

3 comentários
  1. Maria da Conceição Palma permalink
    06/05/2009 11:04

    Há uma coisa que nunca percebi nem vou perceber. Porque não foram estes senhores doutores acusados formalmente e julgados pelo crime de negligência e abandono de menores com consequnete esposição ao perigo? caramba! Que não haja provas sobre o que aconteceu depois (que não teria acontecido caso as crianças não estivessem sozinhas, ou teria?)é uma coisa. Mas o que é certo é que eles são os primeiros a dizer que as crianças estavm sozinhas. Sempre pensei que isso fosse crime! Se fosse o Jacinto e a Idalina ali da Damaia já não tinham os gémeos à sua guarda. Isto, caso não estivessem presos!!!! Ou erá que afinal nada do que sabemos é verdade e nunca houve 3 crianças sozinhas num apartamento?

    Caramba! é que me parece que, pelo menos este crime está provado! E porque não foram acusados formalmente e julgados por ele?

  2. Nuno permalink
    05/05/2009 06:11

    Os Maccan já deveriam ter sido calados desde o momento em que isto ganhou repercussões mundiais. E estranho andarem á procura da filha quando sabem que o aconteceu e que ela morreu, e não estou a dizer que foram os pais , somente que tal deve ter aoontecido, já que rasto da menina nem ve-lo , ou entao foi raptada e está numa rede de pedofilia , se bem que a minha ideia é tão simples como isto ser uma historia muito mal contada

  3. 02/05/2009 06:56

    Saludos y buenos días, Duarte.
    Un nuevo capítulo escandaloso en esta historia. Algún día, como dijo alguien, este caso se estudiará como ejemplo (de lo que NO debió haber sido) en las Universidades.

    Esperemos que, antes de eso, el caso se resuelva y sepamos al fin cuál es la verdad.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: