Skip to content

Contas de outro tio de Sócrates na Net

16/03/2009
mario_machado

Mário Machado

Dezenas de documentos bancários de Celestino Monteiro, outro tio de José Sócrates, relacionados com empresas offshore estabelecidas nos Estados Unidos, em Gibraltar e na Ilha de Man, foram colocados na internet por Mário Machado, líder do grupo de extrema-direita Hammerskins em Portugal, condenado em Outubro do ano passado a quatro anos e 10 meses de prisão.

Os documentos, alegadamente relacionados com o caso Freeport, que ainda se encontram disponíveis para cópia num fórum online, revelam inúmeros movimentos bancários da família do primeiro-ministro em 2001, nomeadamente a compra de acções de empresas do mercado português, como EDP, Sonae, Portucel e PT, entre muitas outras.

Tio movimentou 100 milhões

Contas feitas, em algumas dezenas de páginas de extractos bancários, as transacções do tio materno do Primeiro-ministro ultrapassam os 100 milhões de euros.

Nos documentos de constituição das empresas offshore são ainda indicados os nomes de diversos membros da família Monteiro: Celestino Júlio Coelho Monteiro, Elvira Fernanda Pinto da Silva Monteiro, Carlos César Pinto da Silva Coelho Monteiro, Diana Olímpia Pinto da Silva Coelho Monteiro, Júlio Eduardo Coelho Monteiro, Nuno Miguel Carvalho Monteiro, Hugo Eduardo Carvalho Monteiro e Helena Rute Carvalho Monteiro.

Celestino Monteiro ainda não confirmou a autenticidade daqueles documentos mas uma fonte do Banco Popular, organismo bancário que tomou conta do desaparecido BNC – Banco Nacional de Crédito, não nega a existência dos documentos.

O líder nacionalista explicou que os documentos lhe chegaram à porta de casa depois de lhe terem tocado à campainha: “Quando abri a porta vi um cobertor. Desenrolei-o e lá dentro estava a documentação. Se for chamado, será isso que direi na PJ”.

Apesar de os documentos ali se encontrarem disponíveis para download desde quarta-feira passada (http://www.forumnacional.net/showthread.php?t=34495), as autoridades nada fizeram até agora para os retirar.

Duarte Levy

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: