Skip to content

Polícias europeias testam sistema de alerta para rapto de crianças

11/06/2008
Representantes de Portugal e de Espanha vão acompanhar, como observadores, a simulação do um rapto de uma criança, em França, para testar os meios utilizados pelas autoridades deste país em colaboração com três outros estados-membros da União Europeia: Bélgica, Holanda e Luxemburgo.

Os países do Benelux – Bélgica, Holanda e Luxemburgo – associaram-se à França para efectuar o exercício, esta quinta-feira, 12 de Junho. A iniciativa francesa, lançada pela Ministra de Justiça, Rachida Dati, pretende verificar a eficácia da coordenação e colaboração dos sistemas de alerta existentes nos quatro países.

A polícia do Reino Unido também foi convidada a participar no exercício, como observador, mas recusou o convite.

Este exercício, para o qual as autoridades pediram a colaboração dos meios de Comunicação social, começa pela encenação do rapto de uma criança luxemburguesa em Tourcoing (França). Os “raptores” vão transportar a criança num automóvel de matrícula holandesa, durante uma fuga que passa pela Bélgica, país onde a Policia Federal vai utilizar os seus meios logísticos – que incluem um helicóptero equipado com os mais modernos sistemas de vigilância – para os tentar localizar e interceptar.

Durante o exercício, as autoridades dos quatro países organizadores vão utilizar e testar meios adicionais de alerta, como o recurso aos painéis digitais informativos das auto-estradas e ainda os ecrãs existentes nos pontos de venda da lotaria nacional.

Nos quatro países, um alerta de desaparecimento será enviado a todos os meios de Comunicação Social a fim de verificar o seu nível de colaboração: “Queremos saber com quem podemos contar, para divulgar este tipo de informação, com que rapidez e através de que suporte”, explicou Frédéric Van Leeuw, porta voz do Ministério Publico belga.

A iniciativa, que partiu da Ministra da Justiça francesa, Rachida Dati, pretende verificar o nivel de cooperação entre as autoridades dos quatro paises envolvidos e a eficácia da coordenação dos sistemas já existentes.

A França, que assume a presidência rotativa do Conselho Europeu no segundo semestre de 2008, quer relançar o debate para que seja criado um sistema de alerta europeu a utilisar nos casos de desaparecimento de crianças que obrigue a uma melhor coordenação entre as autoridades policiais dos estados membros.

Duarte Levy & Paulo Reis

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: